BLOG DO COLPANI

Categoria: LEIS DE AUTORIA DO VEREADOR COLPANI

Imprimir

    

    Foi aprovada e sancionada a Lei nº 14.390, de dezembro de 2013, que INSTITUI A SEMANA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO E COMBATE À DEPRESSÃO NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE CURITIBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS, de autoria do vereador Colpani.

     A Lei visa o conhecimento da doença, suas características, prevenção, combate e tratamento. A instituição dessa semana implicará na atenção dos cidadãos a esse problema que atinge tantas pessoas atualmente. Ajudará no combate ao preconceito ainda muito presente entre pessoas que não tem conhecimento das causas e efeitos da doença. Bem como, poderá orientar pessoas que se encontram nessa situação.

     A depressão é uma doença que ataca tão sorrateiramente, que a maioria dos que sofrem dela nem percebem que estão doentes. Segundo doutor Drauzio Varella, em matéria publicada em seu endereço eletrônico, a cada dez pessoas que procuram o médico, pelo menos uma preenche os requisitos para o diagnóstico de depressão. O médico psiquiatra Dr. José Hamilton, explica que com a chegada do inverno e do frio é comum a doença chamada de "depressão sazonal", este tipo de depressão é caracterizada por um estado anormal de tristeza ou redução de energia nos meses mais frios e menos ensolarados do ano. Sabe-se que nesta capital, com as temperaturas mais baixas, é comum este tipo de depressão, por isso entende-se a necessidade de prevenção e combate da doença no município de Curitiba.

     Conforme matéria publicada no site Abril a respeito das causas da depressão: "não se trata de pessimismo ou de simples cara amarrada. A depressão envolve alterações químicas no cérebro. É certo também que esse desarranjo tem fatores genéticos. Há quem diga que os genes são de longe o fator de risco mais importante. Na massa cinzenta do deprimido as moléculas responsáveis pelo bem-estar estão em constante baixa - ao contrário das demais pessoas, que enfrentam essa baixa por algum motivo específico e a tristeza some em poucas semanas. Outros fatores podem empurrar quem tem essa tendência ao "fundo do poço": medicamentos controlados, drogas, doenças neurológicas, cardiovasculares, infecciosas, síndrome do pânico e até tumores. As oscilações hormonais também têm sua parcela de culpa - o que ajuda a explicar por que o problema é duas vezes mais comum nas mulheres e por que costuma aparecer na gravidez e no pós-parto, períodos de turbulência hormonal."

 

     A depressão pós-parto, outro tipo de depressão muito conhecida, ocorre devido às alterações emocionais e hormonais ocorridas no corpo da mulher, o que a leva a um estado de crise. A depressão pós-parto ainda divide-se em três grupos: síndrome da tristeza pós-parto (sintomas de tristeza e choro sem justificativas); depressão puerperal (sintomas como irritabilidade, insônia, autoavaliações negativas e reprovações); psicoses (sintomas de alucinações, agitação severa, delírios). Dados apontam que a depressão pós-parto atinge cerca de 20% das mulheres, sendo importante a conscientização da população acerca da doença.

 

     Há outros tipos de depressão com as seguintes denominações: maior; crônica; atípica, entre outras, as quais também merecem atenção por atingirem parte da população, que muitas vezes desconhece a doença.

     A Organização Mundial da Saúde considera a depressão maior como uma das mais sofridas doenças no mundo, sendo um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, câncer entre outros. Nas idades mais avançadas a doença atinge altos índices de morbilidade e mortalidade.

     Durante a referida semana, poderão ocorrer palestras, debates, distribuição de panfletos com explicações básicas a respeito da doença, procurando atingir o maior número de pessoas desta capital, independente de idade ou nível de escolaridade. Havendo a possibilidade de envolvimento de instituições de ensino em todos os níveis de escolaridade, unidades de saúde, associações de bairros, regionais, Secretaria da Educação, Secretaria da Saúde, Secretaria de Esporte Laser e Juventude, a FAS (Fundação de Ação Social) e FCC (Fundação Cultural de Curitiba), bem como, a comunidade em geral. Também as empresas privadas, poderão proporcionar aos seus empregados palestras, discussões e demais eventos acerca do referido problema.


Leia a lei na íntegra:  Lei 14.390/2013