BLOG DO COLPANI

Imprimir

   Ao todo, serão mais de 300 atrações programadas pela Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Secretaria de Estado da Cultura, Sesi-PR, Fecomércio-PR/Sesc-PR e demais parceiros, espalhadas em cerca de 70 espaços da cidade, desde ruas, praças, terminais e estações tubo até museus e teatros. A programação da semana serve como um aquecimento para o auge da Corrente, reservado para os dias 9 e 10, sábado e domingo.

   Para o final de semana, está previsto um público de mais de 200 mil pessoas que poderá acompanhar, em pelo menos oito palcos, cerca de 70 atrações musicais nacionais, com destaque para Lenine, Criolo, Martinho da Vila, Moraes Moreira, Guilherme Arantes e Gaúcho da Fronteira, e locais, como Orquestra À Base de Sopro com Alexandre Nero, Esperanza, Karol Conka e Tiago Iorc, entre vários outros.

    A Corrente Cultural se consolida como um evento de todos os curitibanos, independentemente do gênero musical ou linguagem artística preferida. Será uma semana para os curitibanos e os turistas que estiverem por aqui respirarem cultura. Este ano a organização privilegiou a diversidade de locais para que as atrações se estendam por toda a semana, em várias regiões da cidade.

Programação completa:

Confira a seguir as atrações já confirmadas e os palcos onde irão tocar:

PALCO CARLOS GOMES (FCC/SESI-PR/Gazeta do Povo)
9 de novembro – Sábado
15h – UAKTI
17h – Orquestra À Base de Corda e Paulinho Moska
19h – "Waltel para tod@s" com Ravi Brasileiro e Banda 

10 de novembro – Domingo
11h30 – Orquestra À Base de Sopro e Alexandre Nero
14h – Gaúcho da Fronteira
18h – Lenine

PALCO CONEXÕES – BOCA MALDITA
(SEEC/SESC-PR/SESI-PR/DETRAN)
9 de Novembro – Sábado

11h – Cortejo Mundaréu. Largada na Rua Marechal Floriano Peixoto, esquina com Rua das Flores até a Boca Maldita (Palco Conexões)
12h – Wanderléa
14h30 – Esperanza
16h30 – Karol Conka convida: Lurdez da Luz, Kamau, Sombra e Nairobi
18h30 – Gaby Amarantos
21h30 – Martinho da Vila

10 de Novembro – Domingo
12h30 – Criolo
15h30 – Grupo Boca Negra – O Bamba da Vila Tassi
18h30 – Fundo de Quintal

PALCO RIACHUELO (SESC-PR/FCC)
9 de Novembro – Sábado
13h30 – Guilherme Arantes
20h – Moraes Moreira

10 de Novembro – Domingo
12h – Poléxia
16h – Blitz

PALCO RUÍNAS (FCC)
9 de Novembro – Sábado

Atrações locais das 14h à meia-noite

10 de Novembro – Domingo
Atrações locais a partir das 10h
19h – Tiago Iorc

PALCO MONSENHOR CELSO (FCC)
Artistas de Rua e Jam
9 de Novembro – Sábado – das 12h às 22h
10 de Novembro – Domingo – das 10h às 18h

TUC – TEATRO UNIVERSITÁRIO DE CURITIBA (FCC) 
9 de Novembro – Sábado
14h às 23h30 – Atrações locais

10 de novembro – Domingo
10h às 17h – Atrações locais

PALCO MON (SEEC)
9 de novembro – Sábado
13h30 às 17h30 – Musicletada

18h – Aula show com José Miguel Wisnik e Estrela Leminski (Auditório Poty Lazzarotto)

10 de novembro – Domingo 
11h – Palavra Cantada – Show Aventuras Musicais
18h – Orquestra Sinfônica do Paraná. Regência: Maestro Osvaldo Ferreira

fonte: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/

Imprimir

      Ao ser avaliado pela Comissão de Saúde, Bem-estar Social e Esporte, o projeto de autoria do vereador Dirceu Moreira (PSL) que obriga os hospitais a manter ambulância para transporte e transferência de pacientes emergenciais ou com dificuldade de locomoção recebeu parecer favorável do relator vereador Colpani (PSB). No entanto, a tramitação foi suspensa pelo pedido de vistas do vereador Pedro Paulo (PT), presidente do colegiado (005.00080.2013).

    No entendimento de Pedro Paulo, “o objetivo do projeto é plausível e busca atender o interesse público, mas é necessário que certos aspectos fiquem claros, como, por exemplo, as características destas ambulâncias e se a obrigatoriedade abrangerá unidades hospitalares públicas e privadas”.

     O presidente solicitou ainda vistas do projeto que institui o Dia Municipal do Combate ao Uso de Drogas, também proposto pelo vereador Dirceu Moreira (005.00138.2013). “Tendo a concordar com os termos do parecer favorável exarado pelo relator Mestre Pop, mas considerando que houve um acordo entre os parlamentares da Casa no sentido de evitar a criação de datas que já existam nos âmbitos federal e estadual, seria conveniente averiguar se já não foi aprovado nenhum projeto de natureza similar”, destacou.

    O vereador Chicarelli (PSDC) também optou por pedir vistas de um projeto que estava sob análise da Comissão. Trata-se da proposição que pretende regulamentar a apresentação de ingredientes dos alimentos fornecidos por restaurantes, bares e similares, proposto pelo vereador Professor Galdino (PSDB) (005.00002.2013).

Compõem a Comissão de Saúde, Bem-estar Social e Esporte os vereadores Pedro Paulo, Chicarelli, Colpani, Mestre Pop e Paulo Rink (PPS).

 

 

fonte: www.cmc.pr.gov.br

Imprimir

H I S T Ó R I A

Como surgiu:

   O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.
 
   A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org). 

   Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Todas ações eram e são até hoje direcionadas a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar a população inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosas, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes (de câncer de mama), partidas de boliche e etc. (www.pink-october.org).

   A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes, teatros e etc. surgiu posteriormente, e não há uma informação oficial, de como, quando e onde foi efetuada a primeira iluminação. O importante é que foi uma forma prática para que o Outubro Rosa tivesse uma expansão cada vez mais abrangente para a população e que, principalmente, pudesse ser replicada em qualquer lugar, bastando apenas adequar a iluminação já existente.

   A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa. Isso faz que a iluminação em rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

O B J E T I V O

  
   Cada ano vem aumentando a adesão ao movimento mundial "Outubro Rosa", que visa chamar atenção, diretamente, para a realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce.

    O Câncer de Mama é a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

FATORES DE RISCO:

Idade acima de 50 anos
História própria ou familiar de câncer de mama
Não ter filhos
Exposição significativa a raio X
Primeira menstruação cedo
Menopausa tardia
Primeira gestação após os 30 anos
Dieta rica em gorduras
Uso prolongado de anticoncepcional oral (ainda é discutível)


    Para a prevenção do câncer de mama deve-se combater os fatores de risco com a diminuição da gordura endógena e consequente redução de peso corporal e dieta rica em vitamina A. Evitar o ganho de peso, principalmente após a menopausa.

    Como orientação geral, toda mulher após os 20 anos deve aprender e fazer mensalmente o auto-exame das mamas. O primeiro exame clínico das mamas deve ser realizado aos 20 anos e repetido a cada três anos até os 40 e, então, anualmente. A primeira mamografia deve ser realizada aos 35 anos, repetida aos 40 anos e a partir daí a cada dois anos até os 50 anos, quando passa a ser realizada anualmente. Com os conhecimentos atuais de oncologia preventiva é possível fazer detecção precoce de câncer de mama, que na maioria das vezes recebe tratamento cirúrgico simples, conservador e exclusivo, sem necessidade de radioterapia ou de quimioterapia, e com grande probabilidade de cura.

     

Fontes : www.outubrorosa.org.br   e  www.prevencaodecancer.com.br

       
Imprimir

    Quem costuma sofrer com os efeitos do adiantamento dos relógios em uma hora, por causa do horário de verão, deve começar a se preparar agora, duas semanas antes do início da medida, marcada para o dia 20 de outubro. Segundo o especialista em transtornos do sono e professor adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB) Raimundo Nonato Delgado Rodrigues, a atenção deve ser redobrada para as crianças, idosos e para aquelas pessoas que não podem ter seu rendimento funcional reduzido durante o dia.

    A dica é acordar 15 minutos mais cedo durante três dias, depois passar para meia hora durante mais três dias, depois para 45 minutos, até chegar a uma hora de adiantamento. “Isso vai fazer com que, ao chegar o horário de verão, você não vai sentir absolutamente nada de diferença”, explica.

    Para o especialista, a mudança no horário é um atentado à saúde da população. “Eles tentam adiantar o horário para que se poupe energia, mas a gente nunca vê uma justificativa nem um relatório convincente ao final do período e a gente repara na quantidade de pessoas que sofrem ao acordar uma hora mais cedo”, diz Rodrigues.

    O horário de verão, que nesta temporada vai até o dia 16 de fevereiro de 2014, vai valer para  todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Tocantins, que chegou a aderir no ano passado, foi excluído novamente este ano e a Bahia, que adotou o horário em 2011, também está fora da mudança.

    No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932 pelo então presidente Getúlio Vargas. A medida é adotada sempre nesta época do ano, quando os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao Sol e a luminosidade natural pode ser melhor aproveitada, reduzindo o consumo de energia nos horários de pico e evitando o uso de energia gerada por termelétricas, que é mais cara e mais poluente do que a gerada pelas hidrelétricas. Também no fim do ano há um aumento na demanda por energia, resultante do calor e do crescimento da produção industrial devido ao Natal.

    Na última temporada (2012/2013), o horário de verão gerou uma economia de 4,5% no período de pico (entre as 18h e as 21h) nos estados em que foi implementado.

 

fonte : www.bandab.com.br

Imprimir

Projeto que eleva de R$ 400 para R$ 1.693,84 o valor da multa para pichadores recebeu parecer favorável, nesta terça-feira (1°), da Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara de Curitiba. A iniciativa é de autoria do prefeito Gustavo Fruet e pretende modificar duas leis municipais. No caso da lei 8.984/1996, que proíbe a venda de tinta spray a menores de 18 anos e exige o cadastro dos compradores, a intenção é mudar os valores de Ufirs (Unidades Fiscais de Referência) para reais, pois, segundo a prefeitura, isso tem gerado dúvidas nos agentes públicos. As mudanças estão no projeto de lei (005.00391.2013).

Com a atualização, a multa para estabelecimentos que venderem tinta spray para menores de 18 anos, ou não fizerem o cadastro do comprador, será de R$ 4.234,60, ao invés dos 1.785,50 Ufirs. Na reincidência, sobe para R$ 8.469,21, no lugar de 3.571 Ufirs.

A outra mudança é no artigo 301 da lei 11.095/2004, que atualmente estabelece multa de R$ 400,00 a quem “pichar, desenhar ou escrever em muros, fachadas, colunas, paredes, postes, árvores, abrigos de paradas de coletivos, placas de sinalização, equipamentos de mobiliário urbano, monumentos ou qualquer lugar de uso público”. Caso seja aprovado em plenário, o valor sobe para R$ 1.693,84.

A proposta recebeu parecer pelo trâmite do vereador Valdemir Soares (PRB), acatado pelos demais integrantes. Será analisada, ainda, pelas comissões de Urbanismo e Obras Públicas e de Meio Ambiente, antes de ser votada em plenário.
 

Outro projeto sobre o mesmo tema foi aprovado pelo grupo (005.00258.2013), do vereador Hélio Wirbiski (PPS), que também propõe alterações na lei 8984/1996.

O parlamentar quer que conste no cadastro dos compradores o número do lote do spray e um código de barras identificando o comerciante. O projeto também responsabiliza pelo pagamento da multa e custas da restauração, além dos pais ou responsáveis, o comprador.

A aprovação na Comissão de Legislação é o primeiro estágio do debate de um projeto. O texto ainda precisa passar por outras comissões e por dois turnos de votação no plenário da Câmara, antes de ser encaminhado ao prefeito para sanção, ou veto.

O colegiado de Legislação tem Julieta Reis (DEM) como presidente, Pier Petruzziello (PTB) como vice, além dos vereadores Colpani (PSB), Cristiano Santos (PV), Felipe Braga Côrtes (PSDB), Noemia Rocha (PMDB), Tiago Gevert (PSC), Toninho da Farmácia (PP) e Valdemir Soares (PRB).

Homenagem arquivada

Projeto que concede o título de vulto emérito ao conselheiro do Tribunal de Contas, Fábio Camargo, recebeu parecer pelo arquivamento. O colegiado referendou o parecer da vereadora Noemia Rocha (PMDB), e levou em conta a lei complementar 26/99. Esta norma, no artigo 5º, diz: “É vedada a concessão de honraria a exercentes de mandato eletivo, Secretários Municipais e Estaduais e ocupantes de cargos de provimento em comissão na administração pública”. A comissão entendeu que a Câmara fica impossibilitada de homenagear personalidades em exercício de cargo de fiscalização dos órgãos públicos, como é o caso do Tribunal de Contas do Estado.

Conforme o artigo 62 do Regimento Interno da Câmara de Curitiba, o autor da proposição que recebeu parecer pelo arquivamento pode, mediante a assinatura de 1/3 dos vereadores, requerer à Mesa a apreciação em plenário. Para isto, ele tem um prazo de cinco dias úteis após a publicação do parecer da Comissão de Legislação no Diário Oficial da Câmara. Caso o recurso seja aprovado em plenário, o projeto volta a tramitar.

 

fonte: www.cmc.pr.gov.br

Imprimir

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) recebem juntos, em média 500 ligações diárias de toda Curitiba e região metropolitana. Mas muitas vezes as pessoas, frente ao pânico, acabam ligando para o serviço errado em busca de socorro.

“É preciso saber diferenciar os dois serviços. O Siate, coordenado pelos bombeiros, é responsável pelo atendimento de traumas. Já o Samu atende os casos clínicos”, explica Ilmar Carneiro Leão, diretor do Samu. “Cada serviço tem uma referência hospitalar determinada pela sua central de regulação, por isso é importante chamar o correto. Ganha agilidade e tempo no socorro”, ressalta.

O Siate normalmente encaminha as vítimas para os hospitais Evangélico, Cajuru e do Trabalhador. Os três são especializados em traumas. Já o Samu faz o encaminhamento para as Unidades de Pronto Atendimento que realizam atendem as vítimas e, quando necessário, entra em contato com a Central de Leitos para viabilizar uma vaga em um hospital.

Mesmo sendo serviços de órgãos distintos, o contato entre eles é constante. “Alguns dos nossos médicos e enfermeiros realizam atendimento no Siate. Também fornecemos algumas macas e insumos quando eles precisam ou acompanhamos os atendimentos, principalmente quando não se sabe qual é a real proporção da ocorrência”, conta Carneiro Leão.

 

Veja abaixo o telefone e que tipo de atendimento cada um dos serviços presta:

 

Samu – 192

As ambulâncias do Samu se deslocam para atender emergências clínicas como, por exemplo:

- Dores no peito que surgem repentinamente, que podem ser sintomas de problemas no coração.

- Intoxicação com produtos de limpeza e envenenamento.

- Perda de consciência, desmaio e hemorragias.

- Crises de convulsão.

 

Siate – 193

As ambulâncias do Siate atendem traumas e ferimentos como, por exemplo:

- Acidentes de trânsito com um ou mais feridos.

- Socorro a vítimas de ferimentos de arma de fogo, faca, estilete canivete, dentre outros.

- Quedas com ferimentos e fraturas.

- Ataques de animais, como cães e abelhas.

- Choques elétricos graves.

 

Fonte: www.curitiba.pr.gov.br

Imprimir

Na próxima terça-feira, 1º de outubro, data em que é comemorado o Dia Mundial do Idoso, o Hospital Zilda Arns inaugura o Ambulatório de Geriatria. O  local contará com  uma equipe multiprofissional, com psicólogos, fisioterapeutas e outros profissionais de saúde, permitindo oferecer atendimento integral ao paciente com mais de 60 anos.

“O paciente é avaliado de forma global, levando em conta as especificidades da idade”, diz a geriatra Vivian Tamashiro, coordenadora do novo ambulatório.

O atendimento também inclui a família. “Os pacientes idosos são mais dependentes, o que torna necessário o envolvimento dos familiares nos cuidados, realizando um trabalho de orientação do tratamento”, conta a médica.

Para a diretora de Práticas Assistenciais Elaine Rossi Ribeiro, com o envelhecimento da população é necessário pensar em ações voltadas para a qualidade de vida do idoso.  “Nosso objetivo é oferecer medidas para a promoção da saúde, para que os idosos vivam mais e melhor”, define.

Programação

A Semana do Idoso do Hospital Zilda Arns teve início neste sábado (28) e irá até 04 de outubro, com atividades recreativas e educativas voltadas aos pacientes e acompanhantes.

Na terça (01), às 10 horas, juntamente com a inauguração do Ambulatório de Geriatria, o hospital homenageará o médico epidemiologistae doutor em saúde pública Nelson Arns Neumann, filho de Zilda Arns, pelos trabalhos desenvolvidos frente à Pastoral do Idoso.

Durante toda a semana, os pacientes internados terão um cardápio especialmente elaborado pelos chefs de cozinha curitibanos Manu Bufara, Gabriela Carvalho, Dudu Sperandio, Délio Canabrava, Beto Madalosso, Eva dos Santos e Flávio Frenkel.

Na quarta pela manhã, os pacientes recebem a visita do projeto Amigo Bicho. O projeto existe desde 2005 e é voltado à Terapia/Atividade Assistida por Animais (T/AAA) com o objetivo de beneficiar pessoas através do auxílio de cães

O Coral Vida Nova se apresenta na quinta-feira (03), às 15 horas. Neste dia,a partir das 14h30, caricaturistas farão retratos dos pacientes para trabalhar a autopercepção do idoso internado e a visão do familiar.

Encerrando a programação, o geriatra José Mário Tupiná Machado realiza palestra sobre envelhecimento, na sexta às 11 horas.

 

fonte: www.curitiba.pr.gov.br

Imprimir

 

A Prefeitura de Curitiba promove nesta sexta-feira (27) e sábado (28), na Praça Rui Barbosa, o Mutirão das Vagas Temporárias. São 3.311 oportunidades de emprego para o fim do ano, com salário médio de R$ 1.200.

O mutirão oferecerá também vagas efetivas, mas a prioridade é para temporárias, em função das oportunidades abertas pelo mercado para o fim do ano. As vagas devem ser preenchidas na hora, com o encaminhamento imediato dos candidatos para a entrevista no local do trabalho. Os interessados devem comparecer das 9h às 17 horas, munidos de carteira de trabalho.

“Apesar de o mutirão ser dirigido para a colocação temporária, para preencher as vagas abertas para o movimento do final de ano, continuamos com o trabalho de captação de vagas permanentes, que são uma garantia maior para o trabalhador”, diz a vice-prefeita Mirian Gonçalves, secretária municipal do Trabalho e Emprego.

Dentre as vagas que serão oferecidas estão 457 para operador de caixa; 389 para atendente de balcão; 321 para repositor de mercadorias; 255 para operador de telemarketing ativo e receptivo; 254 para auxiliar de linha de produção: 244 para vendedor interno; 196 para servente de limpeza e 140 para auxiliar de cozinha.

Há, ainda, vagas para candidatos que possuam escolaridade de nível técnico e superior, como analista de recursos humanos, desenhista projetista, farmacêutico, gerente comercial, técnico de enfermagem.

O salário médio é de R$ 1.200,00, mas algumas vagas chegam a pagar R$ 6.000, como é o caso de gerente de frota.  As vagas com maiores salários são:  gerente de frota (R$ 6 mil); analista administrativo (R$ 6 mil); técnico de manutenção ( R$ 4,2 mil), supervisor de montagem (R$ 3 mil) e farmacêutico (R$ 3 mil).

Carteira de Trabalho

Durante o mutirão, também será oferecido o serviço de confecção de  carteira de trabalho. Os documentos necessários para fazer a carteira podem ser conferidos no site www.curitiba.pr.gov.br

Imprimir

Projeto que exige ambulâncias em hospitais é acatado por Legislação

Um projeto de lei que obriga hospitais de Curitiba a possuírem ambulância para transporte de pacientes foi acatado pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara Municipal. A iniciativa é do vereador Dirceu Moreira (PSD), que protocolou a proposta devido ao ocorrido com o ex-prefeito Saul Raiz, no início deste ano. Baleado em assalto, ele dirigiu seu automóvel até um hospital da cidade, aonde não pôde ser atendido. O estabelecimento não tinha ambulância e um manobrista levou-o para socorro em outro local.

O colegiado havia sugerido anteriormente alterações para a indicação de fonte de custeio e impacto financeiro na proposição. Os vereadores Noemia Rocha (PMDB) e Pier Petruzziello analisaram a iniciativa e suas modificações. Agora, de acordo com parecer, está apta a prosseguir o trâmite na Câmara. Deve ser debatida na Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte e na Comissão de Serviço Público (005.00080.2013).

Também foi acatado projeto de Professora Josete (PT) para que sejam afixadas placas no interior dos ônibus do transporte coletivo informando lotação dos veículos, ano de fabricação e sua vida útil (005.00145.2013). A vereadora justifica que a população só pode fiscalizar os serviços se tiver acesso à informação. O novo texto deve modificar os artigos 36 e 56 da lei nº 7.556, de 17 de outubro de 1990, com as alterações da lei 10.442, de 07 de maio de 2002.

Escadas rolantes

Outra iniciativa que deve seguir para análise de outras comissões é de Valdemir Soares (PRB), que foi relatada pela presidente da Comissão de Legislação, Julieta Reis (DEM). O vereador quer que estabelecimentos que possuam escadas rolantes alertem aos clientes sobre os riscos decorrentes de sua utilização e como evitá-los. Para isto, deverão ser colocadas placas ao lado destes equipamentos (005.00248.2013).

A ideia de Soares é prevenir acidentes, como o que ocorreu na região metropolitana de Porto Alegre (RS) em 2009, quando um menino prendeu a mão direita na escada rolante e teve que passar por diversas cirurgias, além de ficar com o movimento dos dedos prejudicados. Outro acidente ocorreu com uma menina de 9 anos, que faleceu em junho deste ano porque prendeu a mão na escada rolante. Acabou caindo do 2° para o 1° piso de um shopping center em Canoas (RS).

A aprovação na Comissão de Legislação é o primeiro estágio do debate destes projetos acatados esta semana. Os textos ainda precisam passar por outras comissões e por dois turnos de votação no plenário da Câmara, antes de serem encaminhados ao prefeito para sanção, ou veto.
    
Arquivamento

Projeto que obriga a instalação de câmeras de segurança internas e externas nos asilos e albergues da cidade recebeu parecer pelo arquivamento. A justificativa é que a competência para legislar sobre a matéria é concorrente entre União, Estados e Distrito Federal. Cabe ao município somente legislar de forma suplementar.

Conforme o artigo 62 do Regimento Interno da Câmara de Curitiba, o autor da proposição que recebeu parecer pelo arquivamento pode, mediante a assinatura de 1/3 dos vereadores, requerer à Mesa a apreciação em plenário. Para isto, ele tem um prazo de cinco dias úteis após a publicação do parecer da Comissão de Legislação no Diário Oficial da Câmara. Caso o recurso seja aprovado em plenário, o projeto volta a tramitar.

O colegiado de Legislação tem Julieta Reis (DEM) como presidente, Pier Petruzziello (PTB) como vice, além dos vereadores Colpani (PSB), Cristiano Santos (PV), Felipe Braga Côrtes (PSDB), Noemia Rocha (PMDB), Tiago Gevert (PSC), Toninho da Farmácia (PP) e Valdemir Soares (PRB).

 

Fonte: www.cmc.pr.gov.br

Imprimir

 

A partir da próxima segunda-feira (30), as unidades de saúde de Curitiba irão ofertar a vacina contra varicela, também conhecida como catapora. A dose estará incluída na tetra viral, que também protegerá contra o sarampo, caxumba e rubéola. A nova vacina será ofertada exclusivamente para crianças com 15 meses de idade que já tenham recebido a primeira dose da vacina tríplice viral.

Com esta inclusão, o Ministério da Saúde estima redução de 80% das hospitalizações por varicela. Em Curitiba, só neste ano, já foram registrados 2.781 casos da doença.

Segundo o Ministério da Saúde, por ano cerca de 9 mil pessoas são internadas e mais de 100 morrem por causa da catapora no Brasil. A vacina tetra viral tem 97 % de eficácia e raramente causa reações alérgicas.

De acordo com Moacir Pires Ramos, diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, a vacina estará disponível na rotina dos serviços públicos em substituição à segunda dose da vacina tríplice viral. “É importante que os pais fiquem atentos ao calendário de vacinas e levem as crianças com 15 meses para as unidades de saúde. As 109 unidades estarão ofertando a vacina”.

Em geral, o primeiro sintoma da catapora é a febre, que em seguida evolui para lesões avermelhadas. Essas, por sua vez, tornam-se vesículas cheias de água, até que se rompem, formam casquinhas e secam. Nesse processo, se ocorrer alguma inflamação, o risco de gravidade é elevado.

fonte: www.curitiba.pr.gov.br