BLOG DO COLPANI

Imprimir

      A Câmara Municipal de Curitiba foi unânime na aprovação em primeiro turno, nesta segunda-feira (1º), dos projetos do Executivo que reestruturam a carreira dos educadores, reconhecidos como professores de Educação Infantil. Dentre outros avanços, a categoria terá um novo plano de cargos e salários e direito à aposentadoria especial, com 25 anos de serviço.

      As proposições 005.00166.2014 e 005.00192.2014 serão votadas em segundo turno nesta terça (2), antes de seguirem para sanção do prefeito Gustavo Fruet. As matérias tratam, respectivamente, da alteração da nomenclatura do cargo para professor de Educação Infantil e do novo plano de carreira, cuja adesão será opcional. A previsão de impacto financeiro é de R$ 26,6 milhões até 2016.

      O líder do prefeito, vereador Pedro Paulo (PT), destacou o debate com os servidores e a aprovação, nesta gestão, de projetos para beneficiar diversas categorias, como o Magistério e os guardas municipais. “A aposentadoria especial é fundamental. Com 25 anos, feitas as qualificações, o professor de Educação Infantil atingirá o teto”, afirmou. O prazo, hoje, é de 30 anos de serviço. “Logicamente que nem todos os desafios estão superados. É apenas o início de novas lutas, mas é uma conquista histórica para a categoria e a população infantil”, acrescentou.

      “A vitória não é só nossa, mas das crianças (dos Centros Municipais de Educação Infantil, CMEIs)”, reiterou Ana Paula Cozzolini, coordenadora do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc). “Somos exemplo para os educadores de todo o país. Hoje, com muito orgulho, represento os mais de 4,5 mil profissionais e a direção de um sindicato que há anos luta por esta valorização”, completou. Ela alertou para demandas ainda não contempladas, como o abono dos descontos e faltas pela greve deste ano, o avanço para 33% da jornada para a permanência (a percentagem hoje é de 20%) e a redução da carga horária de 40 para 30 horas semanais.

      A secretária municipal da Educação, Roberlayne Roballo, destacou a construção do novo plano dentro de um grupo de trabalho formado por representantes do Executivo, do Sismuc e dos educadores. “Não ficamos só no plano das ideias. A gente age, a gente faz. Mais do que reconhecimento, é respeito aos profissionais que trabalham com as crianças de quatro meses a cinco anos de idade. Este é um marco histórico de valorização”, declarou.

      A Professora Josete (PT) registrou as conquistas que os projetos trarão à categoria e ponderou que caberá aos vereadores acompanhar os itens que serão regulamentados por decreto do Executivo. “Ao equiparar o educador ao professor temos o reconhecimento da importância deles”, disse. A presidente da Comissão de Serviço Público, Julieta Reis (DEM), também apontou os avanços funcionais aos servidores da  Educação Infantil.

      Participaram do debate, ainda, o presidente da Casa, Paulo Salamuni (PV), e os vereadores Serginho do Posto (PSDB), Aldemir Manfron (PP), Noemia Rocha (PMDB) e Rogério Campos (PSC). O projeto 005.00166.2014 e 005.00192.2014 receberam, respectivamente, 34 e 31 votos favoráveis. Também foram aprovadas as emendas 034.00076.2014 e 034.00075.2014, assinadas por diversos parlamentares.

 

fonte: http://www.cmc.pr.gov.br